“Eleições não auditáveis, isso não é eleição, isso é fraude”, diz Bolsonaro

A declaração de Bolsonaro foi dada para apoiadores em frente o Palácio da Alvorada – (Foto: Reprodução)

Presidente da República voltou a defender o voto impresso auditável

O presidente da República, Jair Bolsonaro (Sem Partido), voltou a defender o voto impresso auditável nesta segunda-feira (19). As declarações foram dadas em conversa com apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada.

“As mesmas pessoas que tiraram o Lula da cadeira e tornaram o Lula elegível, vão contar os votos, dentro do TSE, de forma secreta. As mesmas pessoas. Agora, eleições não auditáveis, isso não é eleição, isso é fraude.”, disse o presidente.

Bolsonaro também disse que não ofendeu o ministro do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Luís Barroso. Conforme Bolsonaro, ele “mostrou a realidade”. No último dia 9, Bolsonaro chamou Barroso de “idiota” e “imbecil”.

“Aí o pessoal diz que eu estou ofendendo o ministro Barroso. Não estou ofendendo, estou mostrando a realidade. Eu não posso, de acordo com o artigo 85 [da Constituição], interferir no trabalho do Legislativo. Posso conversar com parlamentar, sem problema nenhum, eu não posso interferir, que é uma coisa mais grave um pouquinho. O Barroso foi para dentro do Parlamento fazer reunião com parlamentares e, acabando a reunião, o que vários líderes partidários fizeram? Trocaram os deputados da comissão especial, deputados, para votar contra o parecer do Filipe Barros, o relator, para não ter o voto impresso.”, argumentou o presidente Bolsonaro.

Total
0
Shares
Related Posts