Ex-presidente Lula perde processo movido contra três jornalistas

O desembargador classificou a reportagem como razoável e dentro dos padrões da linguagem jornalística – (Foto: Reprodução)

Petista foi obrigado a pagar mais de R$ 31 mil em honorários advocatícios

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) processou 3 ex-jornalistas da Revista Época pela reportagem publicada na edição 882 em 2015 com o título “Lula, o operador”. No entanto, o petista perdeu o processo de danos morais e foi obrigado a pagar R$ 31.940,14 em honorários ao advogado dos jornalistas.

Na ação, Lula questionou a reportagem assinada pelos jornalistas Thiago Bronzatto e Filipe Coutinho, sob a justificativa de que tinha “ausência de provas da veracidade do conteúdo divulgado”. O editor-chefe da publicação, Diego Escosteguy, também foi alvo da ação.

“A matéria está repleta de falácias e afirmações vis – todas, sem exceção de uma sequer – divorciadas das práticas éticas e sensatas do bom jornalismo. [Os autores da reportagem] imputaram a Lula a prática de conduta criminosa sem um fiapo sequer de prova”, argumentou a defesa do petista na ação.

Entretanto, o desembargador James Eduardo Oliveira, relator do processo, considerou a utilização do termo “operador” como razoável e dentro dos padrões da linguagem jornalística.

“Os apelados (os jornalistas) apenas reproduziram e contextualizaram o conteúdo da representação feita pelo procurador da República Anselmo Lopes, sem ataques pessoais e sem endossar as acusações que nela se continham”, argumentou o desembargador em sua decisão.

Total
0
Shares
Related Posts