Mendanha e Tatá não influenciaram na Câmara, declara André Fortaleza

André Fortaleza destacou que integra o grupo de Gustavo Mendanha e está à disposição do grupo para as eleições de 2022 – (Foto: Marcelo Silva)

Presidente do Legislativo aparecidense ressalta parceria com o prefeito e reforça seu respeito pelo vice-prefeito Vilmar Mariano

Em entrevista coletiva nesta sexta-feira (15), o presidente da Câmara Municipal de Aparecida de Goiânia, vereador André Fortaleza (MDB), comentou sobre as articulações para a alteração do regimento da Casa, para permitir a antecipação da eleição da mesa diretora. O emedebista respondeu se houve interferência do Poder Executivo na Casa de Leis e ainda pontuou como é sua relação com o prefeito Gustavo Mendanha (Sem Partido), com o vice Vilmar Mariano (MDB) e com o secretário de Articulação Política, Tatá Teixeira.

Confira a entrevista na íntegra:

Por que antecipar a eleição da mesa diretora?
O grande beneficiado sou eu. Porque eu quero levar a minha gestão em quatro anos e vou mostrar para a população de Aparecida de Goiânia a diferença que faz uma administração contínua. Em nove meses à frente da Presidência da Câmara Municipal de Aparecida, nós temos uma economia de quase R$ 4 milhões. Tenho que entregar a nova sede, nós queremos reestruturar totalmente a Casa para dar mais condições para atender melhor a população aparecidense.

Como é sua relação com o vice-prefeito Vilmar Mariano?
O vice-prefeito Vilmar Mariano foi o meu primeiro presidente. Assumimos o mandato em 2017 e votei nele duas vezes. Por algumas divergências criou-se animosidade, mas nunca falta de respeito. Hoje, eu posso dizer, que o Vilmar Mariano é um colega de trabalho, a quem eu respeito. É o meu vice-prefeito e torço sim para que ele possa, caso a candidatura do Gustavo Mendanha se concretizar, que ele possa dar continuidade ao trabalho. Da mesma forma que Gustavo Mendanha deu continuidade à gestão de Maguito Vilela.

Quando será feita a eleição da mesa diretora para o biênio 2023/2024?
O meu comunicado eu vou soltar com 48 horas de antecedência. Pode ser na semana que vem, pode ser no mês que vem, pode ser daqui a dois meses ou pode ser em dezembro. Mas eu vou soltar com 48 horas antes. Porque eu tenho um grupo coeso, que hora nenhuma se curvou para as maldades, retaliações e tentativas de corromper os parlamentares que estão comigo. Eles foram muito categóricos ao afirmar que estão comigo não é por vantagens e sim por acreditarem em mim.

A demora na eleição pode mudar o cenário e proporcionar a articulação da oposição dentro da Casa de Leis?
Eu nunca mudei minha opinião. Palavra dada minha é cumprida. O risco eu tenho o maior desprendimento de correr. Se eu estou naquela cadeira hoje é porque Deus me colocou. Se Deus me colocou, ele vai me tirar.

Você tem pretensão de disputar as eleições de 2022?
Eu participo do grupo do Gustavo Mendanha. Se o grupo achar que precisa do André Fortaleza sair candidato a deputado estadual, a deputado federal, a senador, eu estou à disposição. Quando você participa de um grupo, você precisa ter desprendimento. Eu não fico no cargo de vereador vitalício. Eu almejo coisa maior. Eu almejo crescer na política e não quero ficar estagnado.

A antecipação da eleição da mesa diretora pode atrapalhar a tramitação de projetos do prefeito Gustavo Mendanha na Casa de Leis?
Eu não vejo a criação de uma oposição. Se houver, dessa forma, é a oposição irresponsável, que está vendo apenas o projeto pessoal. Quer dizer que se esse projeto não passasse eu iria barrar a Prefeitura, porque eu sou o presidente? Precisamos conscientizar que a oposição tem que ser consciente, pois ela é saudável.

Qual a influência do secretário de Articulação Política, Tatá Teixeira, na Câmara Municipal?
Ninguém tem influência e ninguém manda em mim. É aqui, nas minhas empresas, se não me respeitar, não fica um minuto perto de mim. Tatá não manda em mim. Gustavo não manda em mim. Vilmar Mariano não manda em mim. Eu não me curvo para esse tipo de coisa. Primeiro é que eu tenho coragem de trabalhar. Segundo é que eu nunca fui submisso a ninguém. Eu afirmo que o Tatá não teve influência nesse processo. O prefeito Gustavo Mendanha também não teve nenhuma influência nesse processo.

Até que ponto gera preocupação as articulações do vice-prefeito Vilmar Mariano para emplacar uma candidatura de oposição ao seu nome para a Presidência da Câmara?
Eu vejo boatos. Mas não ouvi isso do Vilmar Mariano. Por isso eu não quero cometer nenhum erro e não quero fazer pré-julgamento a ninguém. Eu desafio que falou que eu iria provocar uma cassação de mandato. Volto a reiterar que estou no grupo do Gustavo Mendanha. Se o Vilmar Mariano fosse uma pessoa ruim e incompetente ele não seria o vice do prefeito mais bem avaliado do nosso País.

Houve interferência do vice-prefeito Vilmar Mariano nas articulações?
Não sei. Ele não estava me apoiando. Eu não falei com ele, nem com o Gustavo, nem com o Tatá. Eu falei com os 17 vereadores que me apoiam.

Total
1
Shares
Related Posts