Advogados de Lula e Bolsonaro na mira da PF

Operação E$quema investiga desvios de R$ 355 milhões no Sistema S

A Força Tarefa da Lava Jato promove buscas nos escritórios dos advogados Cristiano Zanin, que defende o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva (PT) e de Frederick Wassef, que representava o presidente da República, Jair Bolsonaro (Sem Partido). Wassef representou Bolsonaro até a prisão de Fabrício Queiroz, que é investigado no esquema das rachadinhas ocorridas na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

Policiais federais e integrantes do Ministério Público Federal (MPF) cumprem nesta quarta-feira (09) 50 mandados de busca e apreensão contra acusados de desvios de R$ 355 milhões na Federação do Comércio do Rio (Fecomércio/RJ) e nas seções fluminenses do Serviço Social do Comércio (Sesc) e do Serviço de Aprendizagem Comercial (Senac). Os alvos são pessoas, escritórios de empresas e de advocacia.

A Operação E$quema é um desdobramento da Operação Lava Jato e começaram a partir da Operação Jabuti, de 2018, e também usa informações de delação premiada do ex-presidente da Fecomércio/RJ Orlando Diniz.

De acordo com o MPF, dos R$ 355 milhões gastos a pretexto de serviços advocatícios supostamente prestados à entidade, entre 2012 e 2018, ao menos R$ 151 milhões foram desviados em esquema que envolveria os advogados.

Total
19
Shares
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Related Posts