“Apoio dos prefeitos é fruto do nosso respeito e responsabilidade”, afirma Caiado

Governador lembrou que recebeu o Estado com os repasses das vinculações constitucionais com atraso de até 13 meses

Em entrevista à CBN Goiânia e ao Jornal O Popular, realizada na manhã desta segunda-feira (09), o governador Ronaldo Caiado (UB) afirmou que o apoio maciço que tem recebido de prefeitos se deve, sobretudo, ao respeito e responsabilidade com que tem tratado os municípios. Ele ressalta que, pela primeira vez em 20 anos, o governo estadual paga em dia as vinculações constitucionais da educação e saúde devidas às prefeituras.

Caiado lembrou que ao receber o Estado, em janeiro de 2019, encontrou um quadro fiscal e financeiro de completo descontrole, com dívidas imediatas que somavam perto de R$ 7 bilhões e apenas R$ 11 milhões em caixa. Somava-se às vinculações atrasadas, a folha de dezembro e parte da de novembro de 2018, que sequer haviam sido empenhadas. “Recebi o Estado devendo sete meses das vinculações da saúde e 13 meses de inadimplência na educação”, relembrou.

Caiado avalia que os programas do Governo de Goiás, que foram implantados em prol dos municípios, é outro ponto que tem levado à manifestação de respaldo dos prefeitos. 

“Nós implantamos o Goiás Social, a Patrulha Mecanizada e o Goiás em Movimento – Eixo Municípios, um programa que tem como objetivo levar obras de infraestrutura viárias para as cidades, asfaltando ruas e avenidas, sem nenhum custo ou contrapartida para as prefeituras. Então, tudo isso foi percebido pelos prefeitos”, apontou.

Ronaldo Caiado também falou das medidas adotadas para conter a série histórica de déficit orçamentário, experimentado pelo Estado desde 2012. “Renegociamos uma dívida criminosa. Ao precisar pagar uma dívida grande, renegociamos para não pagar R$ 3 bilhões ao ano. Hoje, temos uma dívida escalonada, com receita crescente”, explicou. 

Sobre os avanços de seu governo, o governador citou o reequilíbrio das contas públicas, a acentuada queda dos índices de violência no Estado, a regionalização da saúde, os investimentos na educação e os programas sociais implantados. “Em três anos, investimos muito mais do que em outros governos. No meu governo, dinheiro não vai para benefício de quem estava nas secretarias. Somos primeiro lugar no Brasil em educação.”, ressaltou.

Total
1
Shares
Related Posts